Cartão de crédito é a forma de pagamento mais usada no Brasil

A maioria dos consumidores brasileiros utiliza cartão de crédito para efetuar pagamento de compras.

O cartão de crédito realmente esta presente na vida do consumidor, dados já comprovaram que o item é a maior causa de endividamento na vida da população. Agora também foi comprovado que o cartão de crédito é a modalidade de pagamento mais utilizada pelos brasileiros.

Cartão de crédito é a forma de pagamento mais usada no Brasil
Imagem: Divulgação

Uma pesquisa realizada pelo SPC Brasil (Serviço de Proteção ao Crédito) e pela CNDL (Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas) mostrou que na hora do pagar dívidas, 38% das pessoas entrevistadas escolhem o cartão de crédito como meio de pagamento, e 15% optam pelo crediário, enquanto 8% escolhem o cheque especial ou empréstimo, e por fim 6% fazem financiamento.

Os dados da pesquisa também revelaram que entre os consumidores que utilizam o cartão, 25% entram em inadimplência em 2018. Segundo o estudo 77% dos consumidores vivem no vermelho e 48% recorrem algum tipo de crédito.

Mesmo sendo a forma de pagamento que mais cobra juros, o cartão continua sendo a maior opção de pagamento entre os brasileiros. Para Roque Pellizzaro Junior, presidente do SPC Brasil, isso vem acontecendo porque o plástico é uma ferramenta segura.

Na lista de itens mais comprados com o plástico é possível ver que as despesas comuns do mês estão em maior parte. A pesquisa mostrou que as compras em mercados correspondem a 56%, já as roupas, calçados ou acessórios representam 48%, e no terceiro lugar ficaram os medicamentos com 40%, os bares e restaurantes atingiram 29% e por fim vem os combustíveis com 28%.

Ainda de acordo com o presidente em breve o item se tornará a principal modalidade de pagamento, mas é preciso cautela no uso. O consumidor precisa entender que as facilidades da ferramenta não isentam as altas taxas do cartão, por tanto o cuidado é necessário neste caso.

A pesquisa que foi realizada em 12 capitais brasileiras analisou 800 casos, os dados estão disponíveis na página eletrônica do SPC Brasil.

Fonte: Veja.