20.9 C
São Paulo
27/09/2020

Facebook será investigado por suposto vazamento de dados de brasileiros

Credicar Vantagens Facebook será investigado por suposto vazamento de dados de brasileiros

 Na última segunda-feira (01) foi aberto um inquérito civil público pelo MPDFT – Ministério Público do Distrito Federal e Territórios, para avaliar o tamanho dos possíveis danos após a invasão sofrida pelo Facebook.

Devido uma falha do Facebook hackers atacaram a rede social e conseguiram controlar 50 milhões de contas dos usuários, após invasão a empresa de Zuckerberg tomou medidas de segurança e desconectou as contas afetadas. Os invasores roubaram os token de acesso das contas, com isso eles acessaram todas as informações pessoais dos usuários e poderiam também assumir o controle de todos os perfis.

Facebook / foto: reprodução

Após o ocorrido na última semana, Mark Zuckerberg usou sua conta pessoal e postou uma mensagem admitindo a falha do Facebook e também deixando claro que existe uma necessidade de continuar investindo em segurança, mas que os problemas foram devidamente corrigidos e que ferramentas para evitar essas situações serão criadas imediatamente.

O promotor de justiça do Ministério, Frederico Meinberg Ceroy, justificou a abertura do inquérito alegando que o ataque pode ter expostos dados importantes como nomes, estados, cidades, sexos e outras informações pessoais dos usuários, e que isso é uma situação preocupante visto que estamos a cinco dias das Eleições de 2018. Meinberg também é coordenador da Comissão de Proteção dos Dados Pessoais do MPDFT.

Investigações envolvendo Facebook

Essa não é única investigação envolvendo o Facebook, em março desse ano a rede social juntamente com a CA (Cambridge Analytica) foram alvos de investigação também por casos de vazamento de dados. A FTC, Comissão Federal de Comercio dos Estados Unidos, abriu um processo para apurar o caso que foi denunciado por um ex-colaborador da CA, o homem afirmou que através de questionários, os famosos quiz do Facebook, eram extraídas informações sem consentimentos dos usuários para influenciar escolhas politicas nas eleições americanas do ano de 2016.

Em poucas vezes que Mark falou sobre o caso, afirmou que estava contribuindo para investigações e que já havia solicitado a CA que excluísse todos os dados conseguidos indevidamente.

X