Pequenos empresários pretendem fazer investimento no próximo ano

Dados do SEBRAE (Serviço Brasileiro de Apoio ás Micro e Pequenas Empresas) confirmam que 52,8% dos pequenos empreendedores planejam investir em seus negócios em 2019.

As informações fazem parte de uma pesquisa elaborada pelo SEBRAE que foi divulgada na última quarta-feira (14) e mostrou que um pouco mais da metade dos empresários donos de pequenos negócios estão se programando para investir até R$ 20 mil em inovações.

imagem divulgação

Segundo o SEBRAE a pesquisa foi feia durante o período de 31 de agosto á 01 de outubro deste ano e mais de 5,8 mil negócios empresariais foram entrevistados.

Expectativas de investimentos

Entre os pequenos empresários que planejam investir em 2019, 51% deles afirmam que vão fazer investimentos em modernização do negócio, 23,5% dos entrevistados dizem que vão utilizar o investimento para aumentar a capacidade produtiva, já 14,4% deles pretendem usar os novos recursos para capacitar seus colaboradores e os outros 11% ainda não definiram ou escolheram outras ações.

Ainda de acordo com a pesquisa o setor do comércio é o que mais os empresários pretendem investir com 55%, seguido pelo setor de serviços com 53% e 50% na indústria.

Em outra pesquisa feita pela organização Deloitte, empresários de grandes empresas também pretendem investir em seus negócios no próximo ano.

Dentre as 826 grandes e médias empresas que foram entrevistadas, 97% afirmam que pretende investir, a prioridade segue com lançamentos de novos produtos ou serviços, novas tecnologias, capacitação de funcionários e substituir ou adquirir novos equipamentos.

Quando questionados sobre o quadro de funcionários, 47% responsáveis das empresas afirmam que existem expectativas de aumento do número de colaboradores, já 32% dizem que vão trabalhar para manter o mesmo cenário.

Os empresários também relataram as dificuldades para manter seus negócios nos últimos anos, mas acreditam que o próximo governo irá melhorar as condições para as empresas não quebrarem e contratarem mais funcionários.

Mesmo diante destes dados positivos alguns especialistas acreditam em uma recuperação lenta do mercado de trabalho.