Recorrer ao cheque especial pode ser uma atitude muito perigosa, afinal o limite já está disponível na sua conta e a tentação de usar esse dinheiro em caso de necessidade, ou até mesmo para completar a renda é grande.

Para se ter uma ideia, o limite adicional para saque, como o cheque especial também é conhecido, têm crescido cada vez mais, o que é muito preocupante, afinal, isso significa que grande parte da sociedade brasileira devido as altas taxas de juros está cada vez mais endividada.

Não a toa, o Banco Central (BC) anunciou nos últimos dias uma nova medida baixando o limite máximo de juros cobrados pelos bancos no crédito do cheque especial. Por isso, se para explicar quais são as novas regras neste que é um dos mecanismos de crédito mais populares, continue lendo essa matéria.

Quais são as novas medidas?

Antes de tudo, um dos principais motivos que fez o governo intervir nesse polêmico assunto, é o fato de que com bastante frequência, os clientes acabam confundindo seu saldo com seu limite, o que acaba gerando uma automatização na criação de dívidas.

Para que fique claro, saldo nada mais é que o dinheiro que foi depositado em uma determinada conta corrente, enquanto o limite é o valor que a pessoa consegue sacar do banco.

Normalmente quando você consulta seu limite, o valor do cheque especial aparece já adicionado ao saldo disponível. Com essa confusão de termos, vários clientes gastam mais do que tem na conta e só descobrem que entraram no cheque especial quando precisam pagar os juros, uma vez que utilizou esse serviço.

De olho nisso, e a fim de evitar este ‘endividamento automatizado’, o Banco Central determinou algumas medidas que entrarão em vigor a partir do dia 6 de janeiro de 2020.

Limite na taxa média mensal

Essa regra determina que nenhum banco ou entidade financeira, possa cobrar de seus clientes, um juros acima de 8% ao mês. Mesmo que parece ser muito, vamos as contas. Atualmente, a taxa média dos juros do cheque especial chega a incríveis 306% ao ano. Com o nomo limite, a taxa anual passará a ser de 150% .

Nova tarifa

A resolução do Banco Central permite a criação de uma nova tarifa de 0,25% ao mês sobre o valor do limite. Porém, todos aqueles que tem até R$ 500 de limite no cheque especial estarão isentos dessa cobrança. Para quem tiver um limite superior, essa taxa será cobrada apenas sobre o valor adicional.

Portabilidade de crédito

O Conselho Monetário Nacional aprovou também a portabilidade de crédito, permitindo que operações de crédito imobiliário contratadas originalmente fora do Sistema Financeiro de Habitação (SFH) sejam enquadradas no SFH na portabilidade.

Com essa medida, o cliente pode transferir as dívidas de uma linha de crédito cara para outras modalidades mais baratas. Mas fique ligado, essa mudança específica entrará em vigor apenas no mês de abril de 2020.

Documento Descritivo de Crédito

O DDC ou Documento Descritivo de Crédito será fornecido nos canais eletrônicos pelas instituições financeiras. Nele estarão todas as informações solicitadas pelo devedor referentes à operação de crédito contratada.

Cheque especial seguirá existindo?

João Manoel Pinho de Mello, diretor de Organização do Sistema Financeiro e de Resolução do Banco Central, acredita que essas medidas são o primeiro passo para expandir essas mudanças também para pessoas jurídicas futuramente:

“A intenção é estudar e introduzir, provavelmente ao longo de 2020, essa sistemática operacional para pessoa jurídica, principalmente empresas de micro e pequeno porte”, destaca.

De acordo com a Febraban, o cheque especial não deve ser eliminado da vida dos brasileiros, mas conscientizado para que a quantidade de juros pagos em seu uso e da frequência com que ele é retirado sejam de conhecimento de todos os clientes.

É verdade que esse dinheiro não deve ser usado como complemento de renda, mas em caso de necessidade, porém, tudo com o devido planejamento.

Fonte original do conteúdo: Novas Regras Para o Cheque Especial: O Que Realmente Irá Mudar?

Juliano Assunção

Brasileiro nascido na região metropolitana de São Paulo. Fundador do portal Credicar Vantagens, Desenvolvedor Web há 15 anos e trabalha com Produção de Conteúdo em canais de informação desde 2009. ...